Fernando de Noronha

Sobre a Ilha

O Arquipélago de Fernando de Noronha é formado por vinte e uma ilhas, numa extensão de 26 km², tendo uma principal - a maior de todas também chamada "Fernando de Noronha" -, como única ilha habitada. As demais estão contidas na área do Parque Nacional Marinho e são desabitadas, só podendo ser visitadas com licença oficial do IBAMA

1. Ilha de Fernando de Noronha:

A ilha principal, possui 17 km², com cerca de 10 km de comprimento e 3,5 km de largura máxima. Seu perímetro é de, aproximadamente, 60 km. É acidentada, com diversas elevações, destacando-se o Morro do Pico, com 323 m de altura; o Morro do Espinhaço, com 223 m; o Morro do Francês, com 195 m; o Alto da Bandeira, com 160 m; o Morro do Curral, com 126 m; e o Morro de Sto. Antônio, com 105 m.

Nesta ilha estão os sítios históricos (Vila dos Remédios, Vila da Quixaba, ruínas dos Fortes de São Pedro do Boldró, de Sto. Antonio, de N.Sª da Conceição e Parque de Sant'Ana), as vilas residenciais de civis, a vila do Departamento de Proteção ao Vôo da Aeronáutica, o Aeroporto, a Creche, a Escola, o Hospital, a Usina Elétrica Tubarão, a Usina de Tratamento d'água Piraúna, a Usina de Dessalinização, a Usina de Tratamento de Lixo e os serviços de Telefonia.

Parte dessa ilha é Parque Nacional Marinho desde 1988, havendo uma divisão espacial identificada como Área de Proteção Ambiental - APA, com aproximadamente 08 km², e Área do PARNAMAR / FN, com 112,7 Km², incluindo-se aqui a parte marítima, até onde o mar tiver 50 m de profundidade (isóbata). Ao redor dessa ilha maior, outras pequenas ilhas, rochedos e ilhotas compõem o cenário decantado por estudiosos e trovadores. São as ILHAS SECUNDÁRIAS, sabendo-se hoje que todas essas ilhas estiveram ligadas, formando um só bloco, separado ao longo de milhões de anos devido à erosão marinha. Clique nos links abaixo para conhecer cada uma dessas ilhas.

Ilhas Secundárias
2. Ilha Rata 12. Ilha Trinta-Réis
3. Ilha do Meio 13. Ilhota da Conceição ou do Morro de Fora
4. Ilha Rasa 14. Rochedo Sela Gineta
5. Ilha de São José 15. Rochedo Dois Irmãos
6. Ilha do Cuscuz 16. Rochedo da Ilha do Frade
7. Ilha do Lucena 17. Rochedo próximo à Ilha dos Ovos, no mar-de-fora
8. Ilha do Chapéu do Nordeste 18. Rochedo situado próximo à Ponta das Caracas e à Baía Sueste
9. Ilha Cabeluda 19. Rochedo do Morro do Leão
10. Ilha do Chapéu do Sueste 20. Rochedo do Morro da Viuvinha
11. Ilha dos Ovos 21. Rochedos das Pedras Secas

2. Ilha Rata

O nome é controvertido. Seria a "Rapta" dos livros antigos, a "Ilha dos Ratos" mencionada por Fr. André Thevet (em 1556). É a segunda em tamanho, com 6,8 Km², rochas escuras e paredões abruptos. Foi habitada por faroleiros e seus familiares, no tempo em que o seu farol de orientação precisava da manutenção humana. A morte de crianças pelo atraso na chegada de água na Ilha Rata, devido às dificuldades de acesso, motivou a colocação do farol automático. Foi ainda base do experimento comercial da "Companhia de Guano", que explorou o "guano" (fosfato de cálcio) abundante em toda a sua superfície, resultado do acúmulo de excrementos de aves marinhas solidificados, considerado "o maior deposito de fosfatos zoógenos do Brasil". Destacam-se nela o Pontal da Macaxeira e a Ilha do Lucena, que na maré alta já se configura como uma outra ilha. Escadas de ferro encravadas na rocha permitem o acesso de estudiosos e controle da Marinha.

3. Ilha do Meio

Localiza-se entre a Ilha Rata e o rochedo Sela Gineta. Possui base mais estreita do que seu topo e a arrebentação das ondas nos seus paredões formam cavidades, muito apreciadas quando é costeada nos passeios marítimos.

4. Ilha Raza

Localizada próxima ao rochedo Sela Gineta e ao lado da ponta da Air France, na ilha principal, é arenítica, com um topo suave. É a mais baixa em altura de todas as ilhas secundárias, tendo o seu topo com solo erodido e cheio de espaços pontiagudos. Tudo indica que essa ilha já esteve associada ao corpo da ilha principal, num período de mar abaixo do que o atual.

5. Ilha São José

É composta de rochas basálticas, escura e está ligada à praia, na região da Air France, na ilha principal, por um tômbulo de seixos negros, semelhantes a um arrecife uma das provas da união entre as ilhas no passado), que permite o acesso a pé nas marés baixas. No alto foi construído, no século XVIII, o Forte de São Jose do Morro, o único, do sistema defensivo então implantado no arquipélago, fora da ilha principal, com a função de defender a Baía de Sto. Antônio, que fica à sua frente.

6. Ilha do Cuscuz

Rocha fonolítica situada próxima ao morro de São José, tem seu nome originado na semelhança do "cuscuz nordestino", alimento feito à base de milho.

7. Ilha do Lucena

Ponta da Ilha Rata que vem se separando, pela ação do mar. Na maré baixa, ainda se percebe a ligação com esta ilha.

8. Ilha do Chapéu do Nordeste

Pequena formação junto às rochas de acesso ao Morro de São José.

9. Ilha Cabeluda

Semelhante ao Rochedo Sela Gineta, é também uma rocha fonolítica e está situada na saída da Baía Sueste, no mar-de-fora.

10. Ilha do Chapéu do Sueste

Assemelha-se às Ilhas do Meio e Rasa na sua formação, e apresenta-se como um pequeno cogumelo. Seu topo é ampliado e a base próxima à altura das ondas é mais estreita, formando um platô logo abaixo, onde podem ser apreciados aratus e caranguejos.

11. Ilha dos Ovos

Situada em frente à Enseada do Abreu, entre a Baía Sueste e a Praia de Atalaia, é também fonolítica.

12. Ilha Trinta-Réis

Pequeno alto fonolítico esbranquiçado pela presença do guano em abundância, localizado próximo ao "Chapéu do Sueste", no mar-de-fora.

15. Rochedo Dois Irmãos

Duas ilhas muito semelhantes entre si, formadas por rochas vulcânicas de cor escura, sobre as quais existem depósitos de "guano", que lhes acrescenta um ar esbranquiçado de rara beleza. É o mais significativo formato de afloramento vulcânico do arquipélago, tendo inspirado uma das famosas lendas de Fernando de Noronha: a LENDA DO PECADO, que o considera "os seios de uma mulher gigantesca, petrificados por castigo de haver pecado".

16. Rochedo da Ilha do Frade

Afloramento de rocha fonolítica, nela pode-se observar fraturas na sua composição. Assemelha-se a um frade sentado, de capuz, como em posição de oração. Já foi chamada "Ilha dos Sinos", pelo barulho do mar batendo nas rochas.

19. Rochedo do Morro do Leão

Rocha fonolítica semelhante ao rochedo Sela Gineta, está situado no mar-de-fora, junto à Praia do Leão, assemelhando-se a um leão-marinho, deitado, vindo daí o seu nome.

20. Rochedo do Morro da Viuvinha

É também uma rocha fonolítica, situado junto ao Rochedo do Leão, na mesma praia, no mar-de-fora. É um local de nidificação de aves, ou seja, uma área onde é comum as aves fazerem seus ninhos.

21. Rochedos das Pedras Secas

Três pequenas formações fonolíticas, localizadas no mar-de-fora, distantes do conjunto do arquipélago, na direção da praia de Atalaia e da Enseada da Caeira. Chamados de "escolhos" por Américo Vespúcio, em 1503, na sua carta descritiva da abordagem feita face ao naufrágio ocorrido nessa proximidade, é o lugar onde começa a história oficial de Fernando de Noronha.

  • Fernando de Noronha 2013© - Todos os Direitos Reservados