Fernando de Noronha

Outros Conjuntos Urbanos

- Vila da Floresta Velha / Escola (1964)

Construída a partir da ocupação militar de 1942, em torno do quartel do Exército (o 30º Batalhão de Caçadores) tem seu nome originário desse "30", pintado no telhado do quartel. Ao seu redor ficava a "Vila dos Sargentos", datada de 1975.

O antigo quartel (o 30º BC) abriga hoje o supermercado da ilha e diversos outros serviços. Ao seu lado, está o prédio da antiga "Usina Elétrica", de 1942, e as casas que foram sendo acrescentadas. Atualmente, o prédio é chamado de "Centro de Convivência".

Ao lado da Vila, um grande prédio serve hoje como peixaria e padaria e foi um dos espaços de abastecimento da ilha, na época dos militares, por eles chamado de "Armazém Reembolsável". Em frente, ficavam casas que abrigavam os oficiais.

- Vila da Floresta Velha / Escola (1964)

Ocupado a partir de 1964, aí foram construídas casas para oficiais do Exército e o prédio da Escola Arquipélago (antigamente chamada "Unidade Integrada de Ensino").

Por trás desse núcleo urbano está o cemitério da ilha, que data de 1843, ampliado em 1883. Nele existiu uma capela em louvor a Nª Sª da Conceição, hoje destruída. Próximo a ele localizam-se casas construídas sobre bases dos grupamentos de guerra. Em frente a esse conjunto, ergueu-se a Vila para Cabos, com casas pré-moldadas e, mais tarde, aí se instalou uma das igrejas evangélicas da ilha.

- Vila da Floresta Nova (a partir de 1987)

É uma vila de casas de madeira, típicas do Paraná, construída a partir de 1987, durante a gestão do Ministério do Interior e do primeiro Governador Civil da Ilha. Nessa área, no alto do morro, localiza-se o Sistema Golfinho de Rádio e TV, em construção pré-moldada.

- Parque dos Flamboyant (Bosque)

Uma praça de convivência, arborizada e com equipamentos de lazer, foi definida no período militar e ganhou ampliações e ajardinamento em épocas diversas. Nas suas imediações ficava o prédio que abrigou a segunda escola da ilha, demolido durante o governo da Aeronáutica.

Casas Pré-moldadas da Rua São Miguel

Seqüência de casas pré-moldadas, da Vila de Cabos do período militar, na antiga Rua do Sol, hoje Rua São Miguel. Em frente a essa vila, algumas casas diferenciadas existem, inclusive a que serviu como Clube de Mães. Existem ainda as Vilas de Soldados ("Vila Fruta-Pão"). Do lado esquerdo da Rua São Miguel (antiga Rua do Sol), restam marcas das antigas casas que foram demolidas para o alargamento da rua, no período do Exército.

- Vila dos Três Paus

Pequeno núcleo urbano localizado fora da pista principal, é um aglomerado circular surgido neste século, provavelmente para abrigar presidiários e suas famílias. Em um período de tempo, durante a ocupação miltar, aí funcionou um pólo de lazer: a "Boite Três Paus".

- Porto

Usado como porto desde o descobrimento, a enseada de Sto. Antônio foi sempre local de carga e descarga das embarcações que chegavam ou saíam do arquipélago. Um molhe em madeira e ferro foi construído durante a II Guerra Mundial, para permitir a atracação de navios e o descarregamento de canhões. A partir de 1987 um molhe definitivo foi erguido, com pedra obtidas com a dinamitação do Morro Boa Vista, não estando ainda totalmente concluído. Diversos equipamentos turísticos apoiam esse local, onde são colocadas as embarcações de pesca e de mergulho.

- Air France

Local onde se instalaram os franceses em 1927, para apoio à navegação aérea. Possuía três edificações, para moradia dos técnicos e guarda do material de trabalho. Hoje, restaurada, a casa que resta tornou-se o "Espaço Cultural Air France", abrigando a Associação de Artistas e Artesãos Noronhenses.

- Alameda do Boldró

Área onde se instalaram os americanos em 1957, no Posto de Observação de Mísseis Teleguiados. Nessa Alameda estão a Usina Termoelétrica Tubarão, a Usina Piraúna, o Hotel Esmeralda, a sede do Projeto TAMAR, a sede do IBAMA e diversas casas de moradores diversos. Mais adiante, de frente para o mar, fica o Bar Mirante do Boldró. Na parte baixa, junto ao mar, um outro bar atende aos que freqüentam essa praia.

- Basinha

Próximo ao Forte de São Pedro do Boldró está o Hotel que abriga os técnicos da administração do arquipélago, quando a serviço na ilha. São casas de madeira, semelhantes àquelas usadas na Floresta Nova e tem capacidade para hospedar 16 pessoas. Em frente ao hotel, outras casas do mesmo material abriga técnicos em serviço que necessitam residir na ilha, como médicos, professores, pessoal da eletricidade e tratamento d'água, entre outros.

- Vila da Quixaba

Um dos núcleos urbanos primitivos da ilha, ergueu-se em torno da Capela de Nª Sª da Conceição e do "Alojamento de Sentenciados", belo casarão que foi destruído por uma explosão, na época da II Guerra Mundial. Fora a capela e o prédio de grande porte, 28 casas serviam de residência aos presos em regime aberto.

A capela de Nª Sª da Conceição teve três sucessivas fases de construção. Erguida por sentenciados, ruiu, sendo reconstruída e novamente desabando em noite de temporal. A face atual da capela data da segunda metade do século XVIII, sendo sua terceira construção. É uma edificação de pequenas proporções, em pedra, com uma porta central e altar em massa, com detalhes curiosos que, analisados no final de 1999, incentivaram a sua completa restauração.

Foi restaurado também todo o edifício e seu entorno. A intervenção salvou a memória da antiga Vila da Quixaba e incentivou o ínicio de uma ação, na linha de Educação Patrimonial, de pesquisa arqueológica no entorno da mesma, para identificação da antiga casa de repouso sacerdotal e do antigo "Alojamento do Presídio", outrora existente.

Os trabalhos, realizados em 1999, orientaram a colocação de um painel informativo em cerâmica, ilustrado com fotos, apresentando uma retrospectiva completa do espaço Vila da Quixaba e das etapas de restauração.

  • Fernando de Noronha 2013© - Todos os Direitos Reservados